Na contramão dos últimos tempos, os Estaduais ganham fôlego e reencontram seu valor

Créditos da imagem: Marcelo Theobald

Nesta última semana acompanhamos com bastante entusiasmo a volta dos grandes clubes aos gramados brasileiros por seus respectivos torneios estaduais, cada vez menores e mais desvalorizados por torcedores, diretores e até mesmo pela imprensa.

No entanto, diferentemente do que vi e vivi nos últimos anos, mais precisamente nos últimos quinze anos, sinto que o clima em torno dos estaduais gira, desta vez, de uma maneira diferente, mais empolgante e exatamente na contramão do que vinha acontecendo há mais de uma década.

O número diminuto de times e de datas inegavelmente aumenta a qualidade do campeonato, pois tende a deixar apenas os melhores times em disputa e faz com que aqueles que busquem por uma vaga de acesso tenham que qualificar muito mais o seu elenco do que teriam em um campeonato inchado como era até o ano passado.
E falo de todos os estaduais.

Além disso, neste ano o novo calendário da Conmebol foi um prato cheio para os saudosistas e amantes dos estaduais em seus tempos áureos. Com as versões estendidas das competições sul-americanas e a continuação da Copa do Brasil que dura o ano todo, a possibilidade de levantar um caneco no primeiro semestre se restringe apenas aos estaduais. Ou seja, é a única chance que os clubes têm de aliviarem uma possível pressão que venha a existir na reta final da temporada, quando os campeonatos se afunilam e os homens são separados dos meninos.

É claro que ainda é pouco para dizermos que os estaduais se aproximam do renascimento, mas é fato que os clubes, principalmente aqueles que sofrem com a escassez de investimentos, enxergam a competição como uma oportunidade real de título nesta temporada.

E como se não bastasse, os campeonatos estaduais ganham uma cara ainda mais importante para que os times descubram seus pontos fracos e fortes e se aperfeiçoem para o restante da temporada, quando chegam as decisões dos títulos mais renomados e requisitados.

Ótimo para quem gosta do charme caseiro dos estaduais. Melhor ainda para quem não gosta, porque talvez seja a hora de começar a gostar.

7 comentários em: “Na contramão dos últimos tempos, os Estaduais ganham fôlego e reencontram seu valor

  1. Olha Jorge Freitas, eu sou radicalmente contra os estaduais, mas você tem total razão! Realmente, sendo a única opção de título em todo o primeiro semestre é mesmo possível que eles sejam mais valorizados 😉

    1. Acho que vai dar um ânimo a mais sim. Acabei me esquecendo dos campeonatos regionais, mas vejo bastante nivelado o interesse tanto por um quanto por outro. Sem contar que times paulistas, por exemplo, não disputam nenhum.

  2. Só os perdedores que são contra os Estaduais ou menininho mimado que não sabe e nunca saberá o que é estar em um estádio dividido meio a meio assistindo a uma final de estadual com dois rivais histórico, perguntem a quem já foi num Morumbi com mais de 150 mil pessoas ou a um Maracanã com 180 mil vendo uma final de estadual se eles são contra os estaduais.

Deixe sua opinião e colabore na discussão