Enquete – Qual a sua avaliação sobre o uso do VAR nesta Copa do Mundo?

Créditos da imagem: Sergio Perez/Reuters

Qual a sua avaliação sobre o uso do VAR nesta Copa do Mundo?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Opinião:

 Gustavo Fernandes
D – Como coloquei em minhas colunas, considero discutível que o VAR não seja usado para corrigir lances em que o árbitro não marca pênaltis com uso do braço no adversário. Ao menos nos lances acintosos deveria ser utilizado. Também considero que poderia haver mais ângulos de imagens. Por fim, penso que não deveriam usar a câmera lenta para averiguar faltas de contato, porque esse recurso induz a erros. Neste caso, a dúvida deve ser interpretada em favor da marcação (ou falta dela) original.

 

 Fernando Prado
E – Antes de tudo é preciso colocar que, mesmo com o VAR, as interpretações continuarão existindo, já que o futebol é subjetivo e o instrumento de avaliação por vídeo é comandado por seres humanos (e suas limitações). Só que, entre o acerto ou interpretação após vídeo e o erro ou interpretação sem vídeo para lances capitais, eu fico com a primeira opção. Se para alguns casos bem pontuais o VAR poderá não ser capaz de fechar questão sobre um lance ocorrido, na maioria deles ele deverá auxiliar –e muito– para que a decisão correta seja tomada. Por fim, vale destacar que um dos meus temores – uma suposta “quebra de emoção” – mostrou-se fora de propósito. A decisão do VAR tornou-se uma verdadeira atração durante as partidas, com ares de suspense. Mais: o VAR não quebra o ritmo do jogo, como bem esclareceu uma estatística que anda circulando nas redes (na qual a interrupção pelo árbitro de vídeo surge como uma das coisas que menos gera impacto no andamento de uma partida). De maneira que não consigo entender quem apenas ataca o VAR indiscriminadamente, como se ele fosse inimigo do futebol. A meu ver, atitude imatura e simplista. Ou jogo de cena mesmo.

 

 Cesar Grafietti

D – A iniciativa é ótima. A ideia de que o futebol é global e adorado porque preserva quase intactas suas regras e características ideais, e pode ser jogado em qualquer lugar de uma maneira simples, não pode significar abrir mão de melhorias e evoluções tecnológicas. O VAR entra em jogo para evitar o erro grosseiro, corrigir a falha humana, que não deveria fazer parte do resultado, seja por ser injusta, seja porque pode ser fruto de mera malandragem. É, no limite, um instrumento de exemplo.

Pode melhorar em algumas interações e execuções, mas veio para ficar.

 

José Maria de Aquino
B – Não vejo vantagens significativas no uso do VAR: a) por ser injusto usar em determinadas partidas e não em todas; b) pelo alto custo, que naturalmente encarece o preço do ingresso, ou seja, mexe no bolso do torcedor que vai ao estádio ou paga PPV; c) não elimina as dúvidas, já que a decisão final continua sendo do homem e não da máquina. A Copa, apesar de todo cuidado da Fifa na escolha dos juízes das imagens, mostrou isso, que mais confunde ou provoca discussão entre os torcedores do que define o certo.

Não aprecio o uso do VAR, mas acho que o uso da tecnologia pode ser positivo para definir outros lances, desde que sejam aperfeiçoadas. Definir, por exemplo, se uma bola caiu dentro do gol, de acordo com as regras, tirando a dúvida se foi ou não gol. Lance raro. Sempre lembrarão o gol na final da Copa da Inglaterra em 1966. Volta o custo benefício e a possibilidade de ser usada em todos os jogos. Pelo menos os de campeonatos importantes.

 

 Jorge Freitas

D – O VAR é provavelmente a melhor notícia do futebol neste século. A verificação de lances polêmicos nos dá a tranquilidade de saber que dificilmente episódios como o gol de mão de Maradona ou o lance dos ingleses da bola que não entrou em 1966 se repetirão.

Entretanto, ainda há o que se evoluir. O ponto principal é torná-lo mais claro, de maneira que seja possível a todos entender como são tomadas as decisões desde a sala de vídeo até o árbitro de campo. Da forma como é conduzido, ainda se mantêm todas as decisões nebulosas. Não podemos, por exemplo, afirmar que não há uma interferência “mais que externa”, isso é, de pessoas que estão além do árbitro de vídeo.

Portanto, o VAR é ótimo, mas precisa de melhorias. Quanto mais claras ficarem as decisões, maior será sua credibilidade.

 

 Emerson Figueiredo
D – O funcionamento foi satisfatório nesta Copa. Tiramos das decisões o imponderável dos erros do apito. Mas, como tudo, pode ser melhorado. A tomada de decisão precisa ganhar mais agilidade. Em alguns jogos houve rapidez, mas em outros o VAR virou uma novela. Imaginem se isso ocorrer em um Corinthians x Palmeiras decisivo….

 

 Gabriel Rostey
E
– É evidente que jamais serei contrário a melhorias futuras, mas acho que esta fórmula está surpreendentemente excelente! O VAR se tornou um momento de emoção a mais no jogo: mesmo a pior e mais modorrenta das partidas pode começar a fazer corações baterem mais forte no momento em que o árbitro vai checar a imagem na tela e ainda não se sabe qual será a sua decisão. Não aparece nos melhores momentos, mas é um highlight a mais para quem estiver assistindo a partida.

Isso para não falar no que era a motivação principal: a evidente evolução no aspecto da justiça dos resultados, que praticamente eliminaram lances capitais objetivamente fora das regras. A Copa já teria resultados diferentes (e injustos) se não tivesse usado o VAR. E apoio como está porque acho perigoso que técnicos ou jogadores possam pedir desafio, sob o risco de se tornar instrumento para esfriar a partida em momentos desfavoráveis ou para catimba.

 

 Fernando Gavini
D
– Só acho que precisa de alguma regulamentação para que seja usado. A melhor maneira é seguir o exemplo de esportes que já usam tecnologia para tirar dúvida de alguns lances como é o caso do vôlei.
No vôlei, cada técnico tem direito a dois desafios por set. Se ele erra, perde o desafio. Acredito que deveria ser assim no futebol também com cada time podendo pedir dois desafios por tempo

7 comentários em: “Enquete – Qual a sua avaliação sobre o uso do VAR nesta Copa do Mundo?

  1. B sem dúvida, principalmente no Brasil onde o FUTEBOL é deficitário (sòmente se poderia aplicar o VAR em pouquíssimas partidas, então sou contra).

  2. E tem como ser contra? Faz justiça e é um barato, dando ainda mais emoção aos jogos!

    Show de bola, o VAR veio pra ficar!

    E sobre a questão do custo, isso são outros quinhentos. Quem não tem competência não se estabelece!

Deixe sua opinião e colabore na discussão