Quando vamos levar realmente a sério a possibilidade de o São Paulo cair?

Créditos da imagem: Sergio Barzaghi/Gazeta Press

Já na nona rodada, em 21 de junho, após a derrota por 1 a 0 para o Atlético Paranaense, o São Paulo ficou apenas um ponto acima zona de rebaixamento. Na 11ª rodada, 2 de julho, batido pelo Flamengo por 2 x 0, o Tricolor do Morumbi entrou no Z4 e viu a queda de seu então (e novato) treinador, Rogério Ceni.

Desde então, vejo quase todos (e eu me incluo) dizerem em uníssono que “logo o São Paulo sai desta situação”.

Primeiro a esperança era depositada na chegada do experiente e competente Dorival, substituindo um suposto “treinador quase amador”. Resultado: apenas uma vitória nas quatro primeiras partidas no comando da equipe.

Até que na 17ª rodada, em 29 de julho, na estreia de Marcos Guilherme e, principalmente, do Profeta Hernanes, finalmente veio o alívio: vitória épica sobre o Botafogo, de virada, em pleno Engenhão, com direito a três gols dos estreantes. Ali, todos tiveram a certeza de que, enfim, o  Time da Fé engrenaria e deixaria aquele lugar da classificação que “simplesmente não lhe pertence”.

E o que aconteceu depois disso? Três derrotas, uma vitória e um empate. Quatro pontos de quinze disputados, aproveitamento de 27%, igual ao obtido em todo o campeonato, até aqui, pelo lanterna Atlético Goianiense.

É justamente essa sensação de que a ameaça de cair não é séria, que faz com que o fantasma do rebaixamento seja seríssimo pelos lados do Morumbi. A ideia de que, como por mágica, em algum momento tudo simplesmente “voltará ao normal” e fará com que o São Paulo volte ao “seu lugar de direito”. Além do mais, o elenco tem nomes badalados como Rodrigo Caio, Jucilei, Cueva, Hernanes e Lucas Pratto. Fora que o treinador é um dos bons do país. “Não é para cair”.

Bom, não vou nem entrar no mérito de que alguns desses, como Cueva, Jucilei e Rodrigo Caio, simplesmente parecem não conseguir mais jogar bem. Mas e o resto? Alguém vê nos demais jogadores qualidade ou história que sejam muito diferentes das dos times que lutam com o tricolor pela permanência na Série A? Eu não.

Já se vai quase um turno de sufoco, o time consegue dar um jeito de perder até quando joga bem, e não consigo sentir no grupo o preparo para lidar com a adversidade e passar a vencer nem que seja na marra.

O único consolo são-paulino até aqui tem sido a torcida. Quando menos se esperava, ela passou a lotar o gigantesco Morumbi e se fazer fortemente presente até em treinos. Tem muita torcida com bem mais fama que não fez tanto em momentos parecidos.

Porque fora isso…

16 comentários em: “Quando vamos levar realmente a sério a possibilidade de o São Paulo cair?

    1. É exatamente esse o pensamento que derruba time grande. Time grande cai sim! E o Brasileirão não derruba o pior time, mas sim a pior campanha. Olha o Inter ano passado, começou como favorito ao título, e caiu. Então ou o São Paulo abre o olho e vê que tá começando a ficar difícil, ou nos últimos 10 jogos será um desespero.

  1. Sim! E já com dois candidatos fortíssimos a “jogadores-símbolo” do rebaixamento: o displicente Cueva e o “fenômeno” Rodrigo Caio.

    O que os dirigentes conseguiram fazer com o Tricolor?!

  2. Do jogo de domingo assisti a partir do terceiro gol do Palmeiras. Momentos antes, segundo o narrador, Rodrigo Caio havia perdido gol feito. Mais à frente, no lance do quarto gol, o outro defensor do SPFC chega a tentar forçar impedimento palmeirense mas Rodrigo Caio sequer prestou atenção, ficou parado e deu condição à jogada. Ele devia ser primeiro volante, acho q faria isso bem. Zagueiro, não. O SPFC está moralmente rebaixado há muito tempo, esse time e sua diretoria merecem a segundona. Torcida e história do clube, não.

  3. O elenco do São Paulo continua sendo melhor do que mais da metade dos times do Brasileirão. Mas os outros já tem um time e o tricolor não; Esse é o problema. Muito por culpa da diretoria que vendeu um caminhão de jogadores, e muito pela troca demasiada que o Ceni fazia na equipe titular mesmo quando ainda podia contar com os atletas que desejava. Resultado disso tudo? Briga para não cair. Acho que todos já estão levando a sério isso, seja torcedor adversário pra zuar o tricolor, seja a própria torcida (organizada inclusive já disse, faz um bom tempo, que apoiaria até os 45pts conquistados e depois faria protesto) que está abraçando o time e tentando empurrar o São Paulo. Abs!

  4. De derrotas e empates, o gigante vai ficando cada vez mais distante do bloco intermediário. O foco é não perder contato com o décimo sexto colocado porque aquela matemática de vencer todas as partidas em casa nem sempre dá certo porque futebol é sempre uma caixinha de surpresas. Os grandes que caíram tinham o mesmo discurso de que o campeonato é longo e tem tempo pra se recuperar. O final do campeonato é logo ali, depois dos 46 pontinhos, regra básica para todos.

  5. Já levo a sério faz tempo.
    O elenco atual é ruim, e foi piorado ao longo do ano, com as volumosas vendas que não resolveram o problema financeiro, e de quebra aumentaram o problema técnico.
    O elenco atual é ruim. É formado por atletas inexpressivos. E não combinam. Equipe lenta, sem criatividade, com compartimentos vulneráveis.
    Além disso, perdeu 6 meses com um estagiário e trouxe um burocrata e que faz escolhas equivocadas para seu lugar.

    Tudo isso é reflexo de uma gestão que é sequência de JJ 3º e seu golpe. Filhotes de Aidar, que diga-se, no campo esportivo foi melhor que esta turma de Leco.

    Outra constatação: o clube tem um estatuto moderno que foi rasgado e jogado no lixo para agradar meia dúzia de incompetentes e cento e poucos conselheiros arcaicos. Entre os incompetentes está o Diretor de Futebol que não tem história profissional alguma, mas já foi do MKT – o pior entre os 3 de SP – e agora é do Futebol. Claro, nada a ver com o empréstimo que fez ao clube. Esta soma de dinheiro com incompetência é só mero acaso.

    Enfim, cabe ao torcedor acordar. Ir ao estádio apoiar o elenco frágil, mas lembrar se cobrar os dirigentes que rasgam a história do clube.

  6. Assim foi com o Inter, tinha um elenco bom, ngm levou fé, achou q iria se recuperar e quando foi ver caiu. O que está acontecendo com o São Paulo é justamente isso, achar que o time é ruim por pegar sequencia ridiculas de derrotas que pelo menos eu coloco na conta do Ceni. Quando foi ver, afetou todo time e aceitaram estar ruins. resultado é esse

Deixe sua opinião e colabore na discussão