A hora de bater na cara de uruguaio

Créditos da imagem: Montagem / No Ângulo

O Paulista chegou às fases decisivas (finalmente!), a Copa do Brasil, Sul-Americana e Libertadores a fases bastante interessantes. Parece que agora sim o ano vai começar para os grandes, depois dos infindáveis jogos que não valiam nada, ou quase nada. A hora das cobranças chegou também.

Pelos lados de Itaquera temos um Corinthians cascudo – para o bem e para o mal -, mas que dá tudo de si, a cada jogo. O que pode indicar raça, porém, também pode apontar que o time atua sempre no seu limite, limite esse que em alguns momentos pode não ser o bastante. Contudo, de 1 a 0 em 1 a 0, o Timão escreve seu caminho neste ano, e se não acredito que será um ano pródigo de conquistas, também creio que o time comandado por Carille não vai vender nenhuma derrota barato, a quem quer que seja. O Corinthians é um time consciente dos seus limites e isso pode fazer muita diferença.

Rogério Ceni me empolgou bastante no início, mas as ousadias e ideias novas têm seu preço e seu tempo de maturação. Tempo que é artigo de luxo no futebol brasileiro, e já traria uma pressão bem maior no São Paulo, não fosse o técnico o maior ídolo da história tricolor. Não bastam boas idéias, o sucesso de todo o projeto são-paulino passa por atuações consistentes (de preferência com vitórias) contra Corinthians e Cruzeiro. No clássico vejo tudo em aberto, mas contra o time celeste vejo o tricolor correndo por fora.

O Santos, poucos pararam para prestar atenção, ficou fora de uma final de Campeonato Paulista depois de nove anos (o que não acontecia desde 2008, quando o Palmeiras foi campeão diante da Ponte Preta). Não deveria significar muita coisa, afinal os santistas estavam “cansados de ‘Paulistinha’”. Mas vai entender esse bicho torcedor, que já pressiona o ótimo Dorival Junior. Santistas, é hora de pensar na América! E claro, corrigir os problemas desse bom elenco.

Mas expectativa mesmo se tem no Palmeiras, que enfrenta o Peñarol e a “obrigação” de ser campeão de tudo o que disputar, afinal, a Crefisa montou o maior esquadrão recente do futebol brasileiro. Expectativas como a deste ano no Palmeiras costumam atrapalhar mais que ajudar, mesmo sendo inegável a qualidade do elenco alviverde. Em que pese a infelicidade da frase do senhor Felipe Melo, agora sim é a hora de bater na cara dos uruguaios… no bom sentido, é claro! Seja ele qual for…

3 comentários em: “A hora de bater na cara de uruguaio

  1. Creio que todo mundo entendeu como força de expressão a entrevista do Felipe Melo, haja vista suas declarações recentes. A Crefisa não montou time nenhum, esse time já vem atuando desde o ano passado por ação de um presidente competente. A Crefisa, como toda patrocinadora, tem pagar para ficar em exposição. Depende de cada clube conseguir o máximo de valor.

  2. Eu acho que o Cruzeiro está ficando tão favorito contra o São Paulo, que as chances do São Paulo passar não param de aumentar!

    Penso que o Corinthians vai ter vida bem dura contra o Inter, e que para o time do Parque São Jorge seria sempre melhor fazer a primeira partida em casa!

Deixe sua opinião e colabore na discussão