Balotelli e a injustiça do futebol

Créditos da imagem: Trivela

Mário Balotelli sempre foi um jogador que nunca conseguiu aliar o seu imenso talento à regularidade.

Sempre envolto em polêmicas, o ponta-de-lança italiano, seja no Manchester City, Milan, Inter ou Liverpool, nunca conseguiu, por exemplo, chegar à marca dos 20 golos numa época (temporada).

Mas desde que assinou pelo Nice, tudo mudou para o Super-Mário.

Titularíssimo na equipa do técnico suíço Lucien Favre, o avançado transalpino tem 38 golos em época e meia na Côte d´azur.

Esta época leva 27 jogos e 21 golos, atingindo e ultrapassando a marca dos 20 golos. Registro inédito na carreira.

A injustiça que falo no título prende-se com a não presença de Balotelli no Mundial 2018 em virtude do não apuramento da Itália para a competição, tendo sido eliminada pela Suécia no playoff.

Se havia ano em que Super-Mário merecia ir a uma grande competição era este: está na melhor fase da carreira, mais estável, mais jogador, mais regular, a marcar golos com frequência.

Veremos se continua em Nice na próxima época ou se dá o salto para um clube mais condizente com a grandeza do seu talento e com o seu currículo que conta com campeonatos em Itália e Inglaterra, conquista da Liga dos Campeões, entre outros feitos.

5 comentários em: “Balotelli e a injustiça do futebol

  1. Com um Balotelli na fase que tá, era só a Itália ter a defesa que costuma ter, e a camisa que entorta varal, que já ia fazer estragos na Copa, tenho certeza!!!!!!!!!!!!!!

  2. Ele só está pagando pelo tempo que não levou a carrera a sério, porque ele sempre teve muito talento.
    Com ele bem, Itália teria ido pra Copa.

Deixe sua opinião e colabore na discussão