Ganso: é melhor ter por perto

Créditos da imagem: Luciano Belford/Agência O Dia

Paulo Henrique Ganso foi apresentado pelo Fluminense.

Embora seja cada vez mais difícil acreditar na eterna promessa de craque despontada no início dessa década, Ganso é um daqueles jogadores que ao futebol brasileiro compensa mais ter por perto do que escondido em algum clube pequeno da Europa.

Aqui, Ganso deixa de ser apenas um jogador brasileiro para se ver cercado de expectativas. É claro que isso pode ser frustrante, mas decepções fazem parte do futebol e dão pauta principalmente a mesas redondas dos canais esportivos que existem por aí.

Paulo Henrique Ganso pode fracassar no Fluminense que mesmo assim será temas de discussões por aqui. Ao contrário do que ocorria até semestre passado, quando o jogador se afundava num dos lanternas do Campeonato Francês e começava a cair num ostracismo inimaginável para o brilho inicial de sua carreira, aqui no Brasil o meia, mesmo que volte a decepcionar, ainda terá holofotes à sua volta.

Além disso, acostumados com o baixo nível de exigência atual no nosso futebol, lampejos de Ganso darão o que falar e sempre nos remeterão àquele pé esquerdo inesquecível de 2010 e 2011, que nos fez acreditar inclusive que seria melhor do que Neymar.

Se quando vestia a camisa do São Paulo o jogador afirmou, mesmo longe de ser unânime, não haver ninguém melhor que ele no Brasil, hoje, Ganso não está nem entre o Top-10 e fica atrás até mesmo de alguns estrangeiros que vestem alguma de nossas camisas.

No entanto, ter Ganso no Brasil é melhor do que tê-lo escondido na Europa.

É como uma mãe que prefere ter seu filho parado em casa do que passando vergonha na rua.

Resta saber se Ganso voltou para o Fluminense porque pensa em voltar a brilhar no Brasil ou porque ficou sem opções para atuar em qualquer outro lugar.

Seu futebol em campo nos dirá. Por enquanto, é melhor tê-lo por perto mais uma vez.

Um comentário em: “Ganso: é melhor ter por perto

Deixe sua opinião e colabore na discussão