“Na prática, a teoria é outra”

Créditos da imagem: SPFC

Quem diria? Protagonistas do líder do Brasileirão são as melhores contratações do ano no futebol brasileiro

Everton veio do Flamengo para o São Paulo como uma espécie de “Patinho Feio”.

Houve até quem tenha menosprezado a contratação, afirmando que o Tricolor teria investido muito dinheiro em um jogador “comum”.

Só que, justiça seja feita, o polivalente jogador só fez dar sequência ao que vinha fazendo no clube carioca – onde se destacava pela regularidade (no bom sentido, de quase sempre conseguir atuar bem) – e hoje é peça-chave também no sistema de Diego Aguirre.

Nenê, por seu turno, sempre foi um jogador top de linha. Por onde passou, foi destaque.

No entanto, depois de uma temporada muito ruim no Vasco em 2017 (somado ao fato de já ser um veterano de 37 anos de idade), era razoável desconfiar que pudesse voltar a atuar em alto nível.

Mas voltou!

E o São Paulo, ainda que por vias aparentemente tortas (ah, o futebol e suas nuances), vai pintando como candidatíssimo ao título do Brasileirão.

Com Kingnaldo, Diego Showza & Cia.

E segue o jogo.

5 comentários em: ““Na prática, a teoria é outra”

  1. ainda falta um turno inteiro. Mas o sucesso de Everton se deve a uma coisa raríssima no futebol brasileiro: foi contratado o jogador pra posição que o técnico quer, fazendo o que o técnico quer. O mesmo pela direita. Isso é prestigiar o treinador, por mais que se discuta a escolha deste. Se vencer, será porque teve o amparo necessário. Se perder, não poderá dizer que foi prejudicado.

  2. O Flamengo, com Vinícius Jr,, passou a usar um jogador destro pela esquerda, fechando constantemente pro arremate. Nesta proposta, Everton ficaria na reserva. Foi um negócio bom pra ambos. Se o substituto de Vinícius Jr (na mesma função) está abaixo do esperado, é outra história.

Deixe sua opinião e colabore na discussão