O que nossos filhos dirão sobre estes últimos 10 anos do futebol?

Créditos da imagem: Montagem / Messi CR7

Tenho por costume fazer pesquisas históricas sobre as listas de clubes e jogadores do futebol.

Lista de campeões mundiais, sedes de Copa do Mundo, finais de Libertadores, Champions, Campeonatos Brasileiros e de seus respectivos artilheiros, entre muitas outras.

Uma lista que me prendia constantemente era a de Melhor Jogador do Mundo, prêmio dado pela FIFA desde 1991 para o melhor jogador do continente europeu (que, teoricamente, também seria o melhor do mundo, bobeiras claras de eurocentristas).

Deparei-me varias vezes perguntando como um tal de George Weah superou Romário ou como um tal de Cannavaro bateu Zidane, Ronaldo Fenômeno e Ronaldinho Gaúcho num mesmo ano.

Fazia conta de quantas vezes o Brasil já teve um Melhor do Mundo, de quantas vezes um mesmo jogador conseguiu levar o prêmio e me espantava quando via que Zidane e Ronaldo conseguiram a proeza de ficar três vezes no topo, mesmo num mundo da bola com tantas estrelas e jogadores espetaculares.

Também me deliciava ao ver que a Argentina jamais havia ganho o prêmio, e que jogadores como Aimar, Ortega, Saviola e Batistuta sequer ficaram na briga de um título destes.

Mas faz tempo que não vejo mais esta lista. Hoje chegamos a incríveis dez anos sem alteração nenhuma. Nada muda, nada surpreende, não há mais contas a fazer. A polarização Messi/Cristiano Ronaldo é a vitória do individualismo sobre o coletivo.

É claro que Cannavaro levou o título em 2006 por representar o espírito da seleção campeã mundial. Assim como Xavi ou Neuer deveriam ter ganho em 2010 e 2014, respectivamente.

Ou Kaká, o último fora do eixo Leo/CR7, que levou o Milan ao título europeu em 2007, como fez Milito com a Inter em 2010 e Ribery com o Bayern em 2013.

Há tantas histórias que o prêmio de Melhor do Mundo omitem que fica difícil acreditar que esta lista é pra valer.

O que nosso filhos pensarão sobre estes últimos 10 anos de futebol? Marasmo, mesmice, uma chatice.

Muito longe do que realmente foi, com tantas histórias, sucessos, fracassos e bola girando por todo o mundo.

Ou seja, hoje, o prêmio de Melhor do Mundo da FIFA em nada mais representa do que briga de egos de jogadores e de torcedores modinhas.

Que o futebol seja sempre mais que isso nas próximas temporadas. Multipolar como sempre foi. A cara de todos!

9 comentários em: “O que nossos filhos dirão sobre estes últimos 10 anos do futebol?

  1. Eles foram eleitos os melhores pq são os melhores
    Em 2010 o único q poderia seria o sneidjer pelo seu protagonismo na inter e na seleção holandesa.O prêmio de 2006 foi uma vergonha ,uma das maiores vergonhas da história do futebol.
    Em 2013 se o Ribéry fez 10 gols e deu 10 assistências foi muito ,já Messi e CR7 passarão dos 50 gols e de 20 assistências.
    Em 2014 que se de um prêmio para a Alemanha como o melhor time do ano, mas não pode se eleger um jogador daquele time como o craque do mundo naquele ano( seria uma vergonha como em 2006 )
    Enfim se Messi e CR7 fossem brasileiro esse velhos dinossauros da imprensa brasileira que pararam no tempo iriam considerar os dois maiores que Deus.
    Precisa se urgente de uma renovação nessa mídia ridícula pq o cara parar pra ler uma opinião como essa sua acima é realmente deprimente

  2. Isso está assim pq não dão mais ênfase nos outros campeonato a não ser o espanhol. Kane comendo a bola desde o ano passado, nunca foi citado em nada… Mahrez no ano que o Leicester ganhou o inglesão, Tevez no ano que fez de tudo pela Juve e ngm falava nada. Está um saco isso. Ano que vem tem copa, vamos ver se muda isso…

  3. Até concordaria e acho que entendo o que o autor quis dizer, mas o duro é que eles (Messi e Cristiano Ronaldo) fizeram mesmo jus a todas essas indicações.

    Vamos ver quando o Neymar conseguirá quebrar isso, já que para mim isso é uma questão de tempo e oportunidade.

  4. Concordo! Especialmente em 2010 nenhum dos dois merecia.

    A sensação que tenho é que só mesmo o Neymar tem o apelo midiático para poder vir a vencer esses dois em uma eleição do tipo, independentemente do que joguem.

    1. Isso acontecerá somente se o Neymar pensar apenas em jogar futebol. Talento ele já provou que tem. A Maturidade ainda não é o seu forte.

Deixe sua opinião e colabore na discussão