O VAR veio para ajudar e não pode virar câmera escondida

Créditos da imagem: Lucas Figueiredo/CBF

As imagens que os árbitros de vídeo veem e compartilham com o juiz do campo devem estar visíveis ao público (em tempo real) durante toda a análise dos meritíssimos.

Assim, a transmissão do espetáculo não cria uma “barriga”. Em vez disso, exploramos com criatividade o suspense do momento e criamos uma atração à parte, como já se faz em outras modalidades, confere?!

Em paralelo, tem aquela outra invenção revolucionária, o tal do CRONÔMETRO, que ainda carece de regulação no futebol. Resultado: o consumidor paga um jogo de 90 minutos e leva 60, quando muito!

O resto é fita do Elinelson, chilique, bate-boca do Clésley Goiano com o Juca Pardalzinho, auxiliar técnico do Itaquaquecetubense…

Sei que propor tanta transparência é pedir demais à fofa da FIFA, mas fica a pica, digo, a dica nos anais, meu colibri.

* A proposta da FOFA é utilizar o cronômetro como nos jogos de bola ao cesto, quiçá com duas etapas de 40 minutos. As tevês vão reclamar que o tempo dos jogos vai variar muito, mas acho que isso é de menos…

 

Deixe sua opinião e colabore na discussão