Sobre a presença feminina no futebol: a grita enfraquece o grito

Créditos da imagem: Fox Sports

A Fox Sports fez uma cobertura de sucesso para a Copa da Rússia

E o seu projeto mais bem sucedido fez-se com as mulheres. O canal abriu espaço para programas só entre mulheres e transmissões de jogos só por mulheres.

É esse o ponto que me incomoda: “Só entre mulheres…”.

Enquanto a Fox Sports transmitia os jogos do Brasil só com homens, a Fox Sports 2 fazia o jogo só com… mulheres.

Uma clara separação foi feita pelo canal ao longo da Copa. Já são várias as mulheres que integram a equipe da Fox Sports, mas não se viu nenhuma na Rússia.

Não havia no local da Copa nenhuma repórter, narradora ou comentarista. Não havia entre os homens na Rússia nenhuma mulher. Nem entre as apresentadoras, que já são destaque no canal.

Será que a Fox ou qualquer outro veículo esportivo respeita um processo de seleção em que homens e mulheres possam competir profissionalmente de igual pra igual?

Uma TV mexicana também colocou uma equipe só de mulheres na Rússia. Isso tem sido comum dentro dos veículos esportivos.

O futebol sempre foi um terreno ultra machista. Vejo que dentro da realidade da mídia esportiva atual, em muitos casos, se dá espaço para as mulheres de maneira sensacionalista. E não algo que seja resultado de um processo profissional.

Não faltam mulheres que gostam e conhecem futebol, e que podem contribuir demais para a mídia esportiva.

Gostaria de ver as mulheres, que sejam competentes, inseridas de verdade dentro de um universo historicamente carregado de machismo, e que ainda mostra total dificuldade em encarar a realidade atual de frente, e não só com discurso e projetos separatistas.

Senão, as mulheres vão ter sempre a necessidade de terem que provar que sabem de futebol. É aí que mora a hipocrisia!

Elas já estão cansadas de saber de futebol, como qualquer homem. Já não deveria mais chamar a atenção!

A grita enfraquece o grito!

6 comentários em: “Sobre a presença feminina no futebol: a grita enfraquece o grito

  1. Boa reflexão. A Lívia Nepomucemo (foto) é prova viva da competência e conhecimento que algumas mulheres também possuem sobre futebol.

  2. Concordo com a coluna e nunca apreciei estas ideias tipo “toque feminino” e saia justa no futebol. No fim, não ganham a audiência nem das mulheres que entendem e gostam do esporte.

Deixe sua opinião e colabore na discussão