Neymar: diabo ou anjo?

Créditos da imagem: ESPN Brasil

Não existe diabo, nem anjo. A humanidade está inteira entre os oito e os oitenta, do Papa Chico ao Maníaco do Parque

Neymar se irrita com “notícias falsas” no PSG e chora no ombro de Tite depois do amistoso de hoje contra o Japão (UOL)

Ney Maravilha, maior craque do futebol brasileiro deste milênio, também é humano. Os penteados e roupas põem em xeque o bom gosto. A formação acadêmica é (no máximo) digna da FODERJ, Faculdade Odair Ernesto Júnior. As preferência musicais e coreográficas são (no mínimo) controversas.

Mas o molecote santista exibe uma longa lista de atributos: altamente profissional e responsável, dotado de um condicionamento físico extraordinário, ótimo marcador, ótimo passador, ótimo lançador, ótimo driblador, ótimo finalizador, veloz como um guepardo, resistente como uma hiena, ágil como uma gazela… E tem as qualidades que extrapolam o campo da grama: educação, inteligência, honestidade, caráter…

Este que vos escreve estudou sempre nas melhores escolas e, acreditem, ficou deslumbrado/desconcertado quando se tornou ligeiramente bem sucedido na carreira. Ney Maravilha ficou zilhões de vezes mais rico e famoso, sem nunca ter tido base acadêmica sólida, e nem de longe se tornou um monstro ególatra.

Seguiu sua condição humana, com erros e acertos, sempre vidraça, mas nunca temendo as pedradas. Sou fã declarado desde sempre, mesmo que não faça chover na Rússia, em 2018 DC, como creio piamente que fará, câmbio.

Leia também:

Fora da Copa!

11 comentários em: “Neymar: diabo ou anjo?

  1. QUE PRAZER ENORME tê-lo aqui entre nós, MARCO BIANCHI! Mesmo!

    E parabéns pela coluna que tem a sua cara: bem-humorada, sensível e fora do lugar comum!

    Bom, depois da coletiva de hoje do Tite com o Neymar, preciso dizer que gostei muito da atitude do treinador (hoje um escudo, quase uma unanimidade no País) em dar um moral para o seu jogador. Explico: apesar de ser um dos maiores jogadores do planeta, Neymar também sofre muita rejeição. E ainda que em muitos casos ele mereça mesmo ser achincalhado, todo mundo tem um limite.

    Por isso vejo com bons olhos a atitude de Tite. Só não pode deixar “deitar” agora, né?! Mas confio muito na sensibilidade do nosso melhor treinador.

    Por fim, ainda sobre o Neymar, recomendo fortemente a leitura do texto do Maurício Barros:

    http://espn.uol.com.br/post/737951_pois-neymar-segue-com-a-minha-simpatia

    Um abraço efusivo e volte mais vezes, querido Marco! Quem sabe até para ficar, compreende?! Rsrsrs 😉

  2. Hum, mas é bem verdade que ele sai “de mal” de todos os clubes em que joga… Eu não gosto dele não, mas respeito as ideias divergentes.

  3. Bão demais!!!!!!!! E aqui no Brasil é assim, se o cara faz sucesso, pronto, tá morto!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! O Neymar as vezes irrita por ser fominha, mas isso é normal considerando que ele joga bem mais que os outros!!!!!!!!!!!! Também sou fá!!!!!!!!!!!!!

  4. Marco Bianchi, é um prazer ter seu texto aqui no No Ângulo! E, como sempre, adorei!

    O que acho curioso é que a má vontade com o Neymar sempre foi grande. Lembra que no começo adoravam achar que o Ganso era melhor do que ele? Mesmo tendo um futebol mágico, perfeitamente “brasileiro”, parece que não aceitam essa “altivez” do Neymar, de ele ser meio que um astro pop. Nesse sentido, o Robinho quando surgiu foi muito mais bem recebido do que o Ney Maravilha (© Marco Bianchi)

    É só ver o quanto demoraram aqui no Brasil para valorizar mais o Cristiano Ronaldo, também! Adoravam fazer uma contraposição entre o “vaidoso, narcisista e egoísta” Cristiano Ronaldo contra o “humilde e avesso a badalações” Messi.

    Por aqui, no fundo, querem ou um modelo de comportamento moralista, ou um bom soldado de militância política…

    1. Obrigado, caro Gabriel Rostey: A inveja superficial é compreensível e até aceitável, mas aquela q resulta de um “raciocínio” é desumana e preocupante. Abs efusivos, até.

  5. O Neymar ainda é um jogador muito instável emocionalmente. Acho que essa “ambição” – até justa – de ser o melhor jogador do mundo, acaba refletindo em algumas de suas atitudes.

Deixe sua opinião e colabore na discussão