W3vina.COM Free Wordpress Themes Joomla Templates Best Wordpress Themes Premium Wordpress Themes Top Best Wordpress Themes 2012

Que o clima de festa dê o tom na grande final da Copa do Brasil

Pintura do premiado artista D'ollynda Brasil: "Somos rivais, não inimigos"

Créditos da imagem: Pintura do premiado artista D'ollynda Brasil: "Somos rivais, não inimigos"

A julgar pelos últimos encontros entre as equipes, Palmeiras e Santos deverão fazer uma final bastante apimentada na noite desta quarta-feira, no Allianz Parque.

Além da rivalidade criada no Campeonato Paulista (também decidido entre ambos, com vitória alvinegra), as discussões dentro de campo envolvendo Fernando Prass e Ricardo Oliveira, além da comercialização, por uma capciosa editora, de um pôster sugerindo e antecipando o Santos como campeão, devem transformar o estádio palmeirense em um caldeirão verde.

Sem falar na pressão sobre o árbitro sorteado para a partida – Héber Roberto Lopes -, que entrará numa fria, muito em razão de um “discurso preparatório” feito pelo presidente palmeirense Paulo Nobre após o jogo de ida, quando definiu como “vergonha” a não marcação de uma penalidade em cima de Lucas Barrios que, a bem da verdade, até agora suscita dúvidas. “Preparatório”, pois o fez já pensando na partida da volta, já com a intenção de colocar uma pulga atrás da orelha do árbitro da grande decisão.

A chama da rivalidade está bem acesa. E AINDA no limite do que é bacana e saudável. Aliás, jogos assim, entre rivais do mesmo estado e com a fórmula do “mata-mata”, costumam nos contemplar com o que de melhor o futebol tem a oferecer: emoção até o último minuto. Ainda mais sendo uma final de um campeonato nacional que pode definir tanta coisa no futuro dos dois clubes.

Que os personagens envolvidos (jogadores, treinadores, árbitros, dirigentes e torcidas) saibam saborear esse grande momento e não atrapalhem o espetáculo com sentimentos e ações menores.

Que Fernando Prass e Ricardo Oliveira apertem as mãos antes do início da partida e percebam a tempo que o espírito esportivo vale mais do que qualquer competição. Seria um gesto de grande simbologia.

Que os dois clubes sejam grandes, como tradicionalmente são.

E segue o jogo.

 

VEJA TAMBÉM:

1 – Roteiro da final da Copa do Brasil é parecido com o da final do Paulistão. Mas há uma diferença

2 – “Clássico da Saudade” na decisão da Copa do Brasil de 2015

3 – A importância da Copa do Brasil para Santos e Palmeiras

Luis Fabiano é mais uma vítima da gangorra imediatista com os centroavantes no Brasil
Jardel, o ocaso de um ídolo

Escrito por:

- possui 244 artigos no No Ângulo.

Natural de Brasília, mas residente em São Paulo desde que se conhece por gente, é um apaixonado por esportes e pela “sétima arte”. Jornalista e advogado, busca tratar o futebol com a descontração que lhe é peculiar, com o compromisso da boa informação e opinião consistente.


Entre em contato com o Autor

6 respostas para “Que o clima de festa dê o tom na grande final da Copa do Brasil”

  1. Israel Viana disse:

    Santos Futebol Clube

  2. Nosso salão da festa de hj

  3. Billyn Campos disse:

    e tri campeao e nois palmeiras


Deixe um comentário

Enquete

Qual o maior técnico brasileiro dos últimos tempos?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Colunistas

Emerson FigueiredoEmerson Figueiredo

Formado em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero. Redator, repórter, pauteiro e editor-assistente da editoria de Esportes da Folha. Trabalhou também na Folha da Tarde, Agora São Paulo, BOL, AOL e UOL. Paulistano, acompanha de perto o futebol desde a época em que os camisas 10 dos grandes times paulistas eram Pelé, Rivellino, Gérson/Pedro Rocha, Ademir da Guia e Dicá.

Gustavo FernandesGustavo Fernandes

Juiz de Direito do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, não resiste a um bom debate sobre esportes, desde futebol até curling. São-paulino, é fundador e moderador do Fórum O Mais Querido (FOMQ). Não esperem ufanismos e clichês. Ele torce, mas não distorce.

Jorge FreitasJorge Freitas

“Prata da casa” oriundo da Coluna do Leitor, este internacionalista é tão louco por futebol que tratou do tema até em seu TCC. Mestrando em Análise e Planejamento em Políticas Públicas, neste espaço une o gosto por escrever com a paixão pelo esporte mais popular do mundo.

Fernando PradoFernando Prado

Natural de Brasília, mas residente em São Paulo desde que se conhece por gente, é um apaixonado por esportes e pela “sétima arte”. Jornalista e advogado, busca tratar o futebol com a descontração que lhe é peculiar, com o compromisso da boa informação e opinião consistente.

José Maria de AquinoJosé Maria de Aquino

Em seus mais de cinquenta anos de carreira, teve passagem marcante pelos principais veículos de comunicação do país, de todos os tipos de mídia, como Rede Globo, SporTV, Revista Placar, O Estado de São Paulo, Jornal da Tarde e Portal Terra. Além de um expoente do jornalismo esportivo brasileiro, também é advogado de formação.

Gabriel RosteyGabriel Rostey

Nascido dias após a seleção de Telê encantar o mundo e não levar o caneco na Copa da Espanha, esse paulistano é especialista em política urbana. Com formação em gestão do esporte, também encara apaixonadamente o futebol como fenômeno cultural.

Fernando GaviniFernando Gavini

Jornalista há 19 anos, já cobriu Copa do Mundo, NBA, Nascar, Pan, Mundial de vôlei, Copa do Mundo de ginástica, Libertadores e as principais competições do futebol nacional. Começou no A Gazeta Esportiva, passou pelo site do Milton Neves, Agência Estado, Agora São Paulo, Terra, ESPN e está na TV Gazeta. A trabalho, conheceu 8 países, 18 estados do Brasil e mais de 100 estádios.

Assinatura por e-mail

Arquivos

©2017 No Ângulo - Todos os direitos reservados