A imprevisibilidade que tornará o Corinthians campeão

Créditos da imagem: Marcello Fim / Frampephoto / Estadão Conteúdo

Já está claro há muitas rodadas que, se há algo indecifrável neste Campeonato Brasileiro, são resultados previsíveis. Sim, parece contraditório, mas é exatamente isso: quanto mais provável o desfecho de um jogo, menos se pode confiar nisso.

Esta sina está materializada da melhor maneira num termo abrangente. Trata-se do prognóstico não de uma partida específica, mas do campeão. Essa era a única dúvida que ninguém tinha até poucas semanas atrás. O Corinthians abrira larga vantagem, após um primeiro turno perfeito, e gozava de ampla margem de pontos na liderança do campeonato já com boa parte transcorrida. Por muitas rodadas, deteve o recorde de diferença para o segundo colocado em todos os tempos dos pontos corridos com 20 clubes. Hoje, tudo acabou.

E é aí que entra a ironia: entre tantas idas e vindas na desilusão de gremistas, santistas, palmeirenses e outros de buscarem o título, poucos ainda hesitam em afirmar que está de volta a briga pela taça. O Corinthians começou a minguar cada vez mais, rodada a rodada. Primeiro ganhava menos. Depois, oscilou. Hoje, não ganha mais faz quatro rodadas. Titubeia com campanha de rebaixamento e isso aumenta ainda mais o ímpeto, principalmente dos seus dois rivais que o perseguem. Quando uma chama quase apagada volta a brilhar com força, e a recompensa para o esforço é nada menos que uma conquista épica, virando uma derrota praticamente consumada contra um grande rival – super rival, no caso do Palmeiras -, a motivação não tem adjetivos. A sede ao pote é como a de um leão faminto à espreita, atrás do seu bovino predileto numa savana, após dias sem se alimentar. O Corinthians agoniza claudicante, perdido em si próprio, como uma nau sem rumo, bloqueado, inseguro, cansado e confuso, uma presa fácil já olhando para as estrelas em busca de uma clemência divina que, por suplica insistente, o faça recuperar forças, desviar a atenção do carrasco. E os perseguidores imediatos, organizados ou não, elevam sua gana e libido na mesma proporção da derrocada do time alvinegro, quase como se estivessem transportando para si toda a impetuosidade que marcou o primeiro turno do – ainda? – líder.

Então, quadro pintado, chega a hora de chutar: o Corinthians será o campeão!

Sim. Em um campeonato estranho, que ninguém parece querer ganhar, basta o Corinthians perder a certeza total do título para recuperar seu favoritismo. Se derrotas prováveis têm costumado terminar em vitórias, e vice-versa; se chances que caminham para os 0% antes de uma rodada tornam-se reais novamente após ela, é exatamente a pressão da perda do conforto que vai recolocar o time de Fábio Carille novamente na rota do título. Esta equipe parece não saber conviver com fartura. Precisou apenas se dar conta de que tinha para começar a jogá-la fora, em busca de uma força interior típica das que se acessa quando uma tragédia é iminente.

Tudo o que parecia decidido sempre terminou em desengano. Repetiu-se esse mantra por várias rodadas. Pois, chegou a hora de se desenganar com a conclusão de que o Corinthians não levará o título. Perdoem-me amigos palmeirenses e santistas: este é o Brasileiro das casas de apostas milionárias, e dos apostadores decepcionados. Das barbadas abortadas. O Brasileiro que ninguém quis ganhar, e que será vencido por quem mais se esforçou em perdê-lo.

9 comentários em: “A imprevisibilidade que tornará o Corinthians campeão

  1. Ousado, ein!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Mmmmmm, pelo que entendi, seria tipo tirar o time da zona de conforto, time esse que só sabe agir sob pressão, meio desacreditado????????? Faz sentido!!!!!!!!!!!!!!!

  2. Texto típico de quem é corinthiano e está desesperado em recuperar a moral do time. Se for falar do improvável ser campeão, é mais fácil apostar no Santos, de quem ninguém fala. E eu acho lindo ver três paulistas disputarem o título. Quanto mais embolar, melhor é.

  3. Hoje foi dia do Cruzeirense se unir ao Atleticano , Hoje foi dia do Gremista se unir ao Colorado, Hoje foi dia do Flamenguista se unir ao Vascaíno … hoje foi dia das maiores rivalidades do Brasil caírem por terra ….Hoje teve record no ibope de TV e Rádio …HOJE O CORINTHIANS ENTROU EM CAMPO e só ele é capaz de unir inimigos históricos do Futebol brasileiro com um único objetivo: TORCER contra o CORINTHIANS …. todos girando em torno do Maior Clube do Brasil.
    #VaaaiiiCORINTHIANS

Deixe uma resposta para Pietro Fernando Garcia de Carvalho Cancelar resposta