É fácil comentar um jogo terminado

Créditos da imagem: Zero Hora

Opinião: dizer o que pensa não é erro, errado é não reconhecer

Ontem, quando me questionaram sobre a opinião dada, durante o jogo (escrevi no Facebook que Cícero e Jael não poderiam ser trunfos para quem quer ser campeão), e eles ironicamente definiram o primeiro jogo da final da Libertadores, entre Grêmio e Lanús, meu filho me disse: “Melhor sempre é esperar o final do jogo para dar pitaco”.

Fácil, não é mesmo? Falar depois é mole. Qualquer comentarista agora pode usar o microfone e dizer “Renato Gaúcho soube explorar a qualidade do jogo aéreo de Cícero e Jael, ele previra isto nos treinamentos”.

É fácil comentar um jogo terminado, quero ver é ter a coragem de poucos para antecipar um pensamento, falar do que está acontecendo, mesmo sabendo que corre o risco de dar “furo”, como eu dei.

De qualquer maneira, com toda certeza este é o meu pensamento e dele não abro mão: vencer com Cícero e Jael resolvendo um jogo é estrela brilhando do treinador e não a certeza do resultado.

Fico pensando como era no tempo do rádio, a tevê só mostrava o videoteipe da partida principal, e, neste pensamento, navego até a geral do Maracanã, nas quartas e sábados, dias de jogos de Flamengo ou outro qualquer, que ficávamos em pé, no intervalo, olhando para a cabine da Globo, onde estava Ruy Porto comentando o que havia acontecido no primeiro tempo e, quando o jogo estava difícil e equilibrado, a gente esperava Ruy Porto dizer: “Quem fizer o primeiro gol vence”, o que normalmente ocorria nos clássicos e nos jogos contra pequenos até que poderia ter virada dos grandes.

Fácil criticar quem dá opinião antecipada, fácil dizer que o comentarista se equivocou, duro é emitir opinião e conservar aquilo que falou e reconhecer o erro com uma boa gargalhada ou com uma piada, como eu fiz logo após Cícero fazer o gol com, a hoje chamada assistência de Jael, como se aquilo tivesse sido arduamente ensaiado com auxílio dos drones ou não.

Vou continuar criticando jogadores, cujo nível de futebol não me agrada, mesmo que eles brilhem intensamente nos jogos em que eu estiver assistindo. Vou continuar imitando Ruy Porto dizendo o que penso na hora e que se danem as críticas e os que não têm coragem de admitir erros.

Em tempo: já cansei de isolar Márcio Araújo, Nélio, Negueba e o tal Guerrero, mas, quando queimo a escrita, eu dou a mão à palmatória (exceto a Márcio Araújo, este não tem solução)…

Leia também:

A final da Libertadores vista por nós argentinos: este Lanús não é casualidade, mas sim trabalho sério

8 comentários em: “É fácil comentar um jogo terminado

  1. Coisas do futebol. Podem entrar para a história do Grêmio. Imagine se fosse uma triangulação com o Cortês. rsss

  2. Concordo inteiramente! Inclusive, quando os “engenheiros de obra pronta” gostam de ficar azucrinando quem teve a coragem de se expor, só estão colaborando para que as pessoas tenham opiniões cada vez mais em cima do muro, insossas e passam a ter medo de se comprometer com qualquer posição mais arriscada. Não é isso o que eu quero e nem o que eu valorizo, por exemplo…

  3. Rsrs, quando as pessoas vão ter a maturidade de entender que futebol não é ciência exata?????? Tipo nos palpites, que tem gente que fica rindo de quem erra!!!!!!!!!!!! Eu mesmo queimei a língua, acho o Jael ruim que só e o Cícero só tem cheiro de gol mesmo, e ontem deu certo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Assim como tem dia que o Messi erra pênalti, o Zidane foi expulso em final de Copa e assim segue, kkkkkkk

Deixe sua opinião e colabore na discussão