Galhardo: a frustração de um jogador em sucesso

Créditos da imagem: Montagem / No Ângulo

Artilheiro isolado do Brasileirão e líder em assistências junto a outros jogadores, Thiago Galhardo vivia, aos 31 anos, a melhor fase de sua carreira profissional, a ponto de ter sido convocado para a Seleção Brasileira, mesmo que às pressas, para preencher vaga em razão da pandemia da Covid-19.

No entanto, aparentemente, a boa fase do jogador mudou desde que o treinador argentino Eduardo Coudet preferiu abandonar o Internacional na liderança do campeonato para treinar o Celta de Vigo, na zona do rebaixamento do Campeonato Espanhol.

Desde que Abel Braga assumiu, o Colorado foi eliminado da Copa do Brasil para o América-MG, vice-líder da Série B, e caiu para a 4ª colocação do campeonato nacional, já há seis jogos sem vencer, sendo quatro sob comando do treinador brasileiro. Curiosamente, nos últimos cinco jogos, Galhardo não só passou em branco tanto em gols quanto em assistência como perdeu dois pênaltis, sendo o último deles nesse sábado, que provavelmente daria a vitória e o 3º lugar ao Inter na tabela do Brasileirão.

Infelizmente para ele, sua má fase não é necessariamente de culpa própria, mas sim um acúmulo de todas as partes, a começar por Coudet, que deixou o clube repentinamente e marchou rumo à Espanha; como também da cartolagem colorada que preferiu buscar em Abel Braga, que acumula fracassos recentes em Flamengo e Vasco, a solução para a continuidade do bom trabalho feito pelo argentino.

A queda certamente seria inevitável. Depois do jogo contra o América, que garantiu a classificação do clube mineiro para as semifinais da Copa do Brasil, Abelão declarou que não pensou em estratégia ou tática para reverter a derrota do primeiro jogo, mas apenas em experiência, como se vivesse no futebol do século passado.

Thiago Galhardo, então melhor jogador do Brasil no retorno do futebol pós-quarentena ao lado de Marinho, sentiu na pele a queda de rendimento do clube e tem sido decisivo negativamente em suas últimas partidas. Uma frustração para um jogador já veterano que pela primeira vez desfrutava de um inquestionável sucesso.

A eliminação na Copa do Brasil poderia ajudar Galhardo e Internacional a se manterem no topo do Brasileirão e na briga pelo tri da Libertadores, mas parece que mesmo que agora sobre fôlego, faltará futebol. Uma mudança drástica e bastante surpreendente que coloca em risco toda a temporada de um grande do futebol brasileiro.

Mas ainda há quem diga que está tudo bem por aqui.

Deixe sua opinião e colabore na discussão