Não-me-toque Futebol Clube – já na sua telinha!

Créditos da imagem: Léo Pinheiro/Framephoto/Folhapress

Aviso: esta coluna contém trechos politicamente incorretos. Sem pedido de desculpas.

Dizem que clássico sempre será imprevisível. Hoje em dia, nem tanto. Até vidente de poste consegue antever que haverá uma briga histérica. Uma bolada, uma encarada, uma comemoração… Tudo pode desencadear faniquitos em atletas profissionais. Basta que um se descontrole pra que os outros venham em polvorosa.  Em outros tempos, mesmo as participantes do Encontro com Fátima Bernardes diriam: “parece mulher!”. O árbitro já não sabe se está numa partida de futebol ou num final de liquidação. Ora expulsa os descontrolados, ora chama pra conversar -vale até elogiar o penteado pra acalmar os ânimos. Dá certo por um tempo. No jogo seguinte, lá vêm os nervos de seda, de noooovo…

O colunista sabe que isso não é novidade. Que, no tempo do onça, Almir Pernambuquinho provocou uma hecatombe no Maracanã. Que, no tempo do jaguatirica, Edmundo fez a mesma coisa num Choque-Rei. Que, no tempo do gato do mato, foi a vez de Edílson e suas embaixadinhas explosivas. Mas percebam um considerável hiato entre os incidentes. Agora virou Malhação. Tem todo ano, toda semana, todo dia e com qualquer principiante se achando a vedete global. Como em toda nova fase da produção, há o vilão com cérebro adolescente. Aquele que incita a discórdia entre os protagonistas. No caso do futebol, é o patrulheiro da rede social. O jogador vai pro Twitter e vê o companheiro de profissão ser detonado. Motivo? Foi visto a cinco metros da irmã do amigo da prima do namorado da cunhada da mulher do adversário. Em véspera de clássico!

O capítulo continua. O mocinho decide ir ao shopping, encontra esse colega e faz o quê? Passa reto, é claro. Senão alguém pode fotografar com o celular e mandar pro Instagram. Antes que o coitado chegue em casa, vai estar sendo xingado pelo renomado @tricolornaveia, ou pelo @soudafielmano, ou pelo @porcoshow, ou pelo @terrordavila -ou por todos eles. E já que caiu na armadilha do futriqueiro, no episódio seguinte é hora de ir pro pau. Agora sim, sai coberto de aplausos e glórias cibernéticas. “Isso aí, c…! Esse cara não deixa tirarem onda do nosso time!”. O jogador -quando não o treinador- percebe que atuar bem (com a bola) é o de menos. Tem que causar. Se começar tirando sarro do rival, melhor ainda. Dane-se que o técnico nem sabe o que é tática. Ou que o lateral não acerta um passe, chuta mal e dá migué na marcação. Virou ídolo teen de marmanjo.

Além de desunidos, os jogadores-divas ficaram desleais. No vale-tudo pra ganhar a plateia, vale tudo mesmo. Inclusive armar contra o colega. Um toque normal vira um golpe de Chuck Norris. Mortalmente ferido, o canastrão precoce agoniza no gramado. Depois dá uma piscadela quando arruma o cartão vermelho pro adversário. Só que ator de Malhação é ator de Malhação. Quando chega na Libertadores, quer mostrar a mesma esperteza contra os argentinos da novela das oito. Acaba sendo ele o expulso. Aí chora na frente das câmeras – não sem antes ajeitar o cabelo, a corrente, o piercing… Às vezes promete refletir sobre o episódio em sua carreira. Durante duas semanas, vai pedir paz em campo e posar pra fotos com os rivais no Globo Esporte. Mas domingo tem outro clássico. Um mindinho ninja atinge seu rosto. Chamem o antigo locutor da Sessão da Tarde pra mais confusão.

Quem deve estar incomodada é a própria Rede Globo, berço de todos estes programas. Não precisa de uma versão piorada, que ainda retarda a programação e espanta telespectadores. Em mata-mata brasileiro, quem morre-morre é a audiência. Por isso, vai ver a solução cabe à própria emissora. Formem uma junta com Bial, Glória Perez, Bonner e Ana Maria Braga. Missão: explicar a técnicos e jogadores que eles não serviriam nem pra um remake da insuperável primeira temporada de Malhação -aquela com Dado, Héricles, & CIA. Só não garanto que adianta. O vilão sempre tem uma intriga na manga. Já cantava Lulu: “ainda vai levar um tempo”…

8 comentários em: “Não-me-toque Futebol Clube – já na sua telinha!

  1. Kkkkkk quanta criatividade!!!!!!!!!!! E é mesmo, “coisa de mulher” kkkkkk! E agora nem com 10 em cada time conseguem criar alguma coisa, fica só nessas briguinhas mesmo!!!!!!!!!!!!!!!!!

    1. Cara quer contextualizar um jogo de futebol, KKKKKKKK é fácil dizer isso, com o ambiente que a mídia criou em cima. Isso gera um clima propício para brigas, sem contar que já tem jogadores que tem entreveros anteriores. Não a como dimensionar um final como essa. Desculpa mais sua inveja bateu forte agora mano, todos os clássicos tem problemas e brigas, santos e palmeiras teve tbm varias vezes, ta querendo menosprezar o clássico por que ta fora, se fosse o santos jamais apareceria com esse texto . kkkkkk só passa mas vergonha

Deixe sua opinião e colabore na discussão