Palpites dos confrontos brasileiros pela Libertadores

Créditos da imagem: Reprodução Globo Esporte

Just for the fun of it

Já não é de hoje que os jogos eliminatórios entre times brasileiros entregam menos do que deles se espera.

Equipes truncadas, por vezes até violentas, e, com “medo de perder maior do que a vontade de ganhar” (salve, salve, “pofexô”), viraram a nossa tônica.

De maneira que, considerado o nível parecido dos jogadores empregados em nossos clubes grandes (especialmente os 11 titulares), qualquer resultado pode ser considerado factível.

Mas não será por isso que deixarei de dar os meus palpites.

Existem alguns fatores que justificam a minha escolha por Grêmio e Internacional como favoritos à classificação. Vamos a eles:

Grêmio x Palmeiras – em duelos mata-matas, em 2019, o Tricolor Gaúcho de Everton Cebolinha (o “meu” craque da última Copa América) tem 13 partidas, com 7 vitórias e 6 empates, 21 gols pró e apenas 1 contra. E deu o recado no confronto de ida da Copa do Brasil contra o Athletico Paranaense, quando deixou ótima impressão (esse Renato Gaúcho é mesmo danado!). Já o Verdão, desde o retorno de Felipão, só faz decepcionar nos jogos eliminatórios. Seu principal jogador, Dudu, é cobrado pela própria torcida por não corresponder quando a equipe mais precisa de sua liderança técnica e anímica. Sem falar que a pausa da Copa América fez mal ao elenco, que perdeu ritmo, estabilidade defensiva (então o seu forte) e confiança. Dá Grêmio.

Flamengo x Internacional – Gabigol tem boas chances de ser eleito o jogador do ano no futebol brasileiro e pode ser o fator desequilibrante do duelo. Já o “imparável” Bruno Henrique voltou a atuar bem depois de contusão recente e agora ainda mais motivado depois de ser convocado por Tite para a Seleção. No entanto, do outro lado estão Guerrero, que também está “voando” e o “osso duro de roer” D´Alessandro, um sujeito chato e tinhoso, para o bem e para o mal. Sem mencionar que o Inter tem uma “defesa real”, já estabelecida, ao passo que o Flamengo possui apenas a expectativa de formar uma com os atletas renomados que contratou. Bom, pelo fato de considerar o Colorado mais pronto enquanto equipe, até pelo tempo de convívio de seu treinador com seus atletas (vide a sua vitória contra o “bicho-papão” Palmeiras pela Copa do Brasil e a derrota do Fla para o Furacão pela mesma competição), aposto nos gaúchos. Dá Inter.

E segue o jogo.

Deixe sua opinião e colabore na discussão