Tomada de decisão nos tempos do Rei do Futebol: lições de uma tarde em 1973

Créditos da imagem: Reprodução / ESPN Brasil

Lá fomos nós, eu e meu irmão mais novo, ambos santistas, ao Pacaembu.

O jogo era Santos e Portuguesa. Um domingo de sol, céu azul. O jogo começa e a surpresa vem junto. A Lusa tinha contratado Oto Glória como técnico, um dos grandes à época. Ok, mas o Santos estava mandando tudo naquele ano.
Pois bem, começa o jogo, a Lusa se mexe melhor do que se podia esperar. Viradas de jogo surpreendentes, velocidade inesperada e eis, que, lá pelos 15 minutos, sai o primeiro gol — da Portuguesa.

Logo depois, eu vi um lance de que me lembro até hoje, passa como um filme na minha memória. Num ataque do Santos, a bola circula, triangula, até que, num certo momento alguem dá um passe errado e a bola cai no pé de um zagueiro, que decide isolar a esfera com toda a força, isolar, mesmo.

Só que o chutão, em vez de voar alto, saiu reto. Qualquer pessoa ante aquela bola, tentaria se esquivar ou se proteger, porque a chance de aquela bolada machucar era grande. Pois o rei não apenas percebeu o erro do desvio como, estando na trajetória da bola, matou aquele chutão no peito e saiu jogando.

Mesmo com esse sinal de magia iminente, o que ocorre? O segundo gol da Portuguesa.

Consegui convencer meu irmão de que aquele não era um bom dia para o Santos, mas poderia ainda ser um bom dia no clube.

No ônibus, um radinho ligado contou que o Santos tinha marcado, logo no início do segundo tempo. Quando descemos no ponto perto de casa, outro radinho deu conta do gol de empate do Santos. Assim que chegamos em casa, pimba! O Santos havia virado o jogo e vencido a Lusa por 3 a 2.

Não fomos ao clube, meu irmão e eu. Ele, contrariado por ter perdido a virada. Eu, péssimo, por ter sido agente da perda.
Aprendi, desde então. Mas sigo tendo essa experiência como dosador na hora de tomar decisões. Timing é tudo, afinal.

2 comentários em: “Tomada de decisão nos tempos do Rei do Futebol: lições de uma tarde em 1973

  1. Creio que estive nesse jogo. Se for este, de fato, o jogo em que estive, a torcida da lusa, inconformada com a virada do Santos,
    deitou o sarrafo em todos os santistas que estavam ao alcance de sua, até então, para mim, inédita selvageria.
    De qualquer modo, se não foi esse, jogo, foi muito muito parecido.
    O importante é que tive o privilégio de ver o nosso Rei, aprontando das suas.
    Viva!!!

    1. Maluco ??
      Com Pelé em campo tem que ficar ate o apito do Juiz encerrando a partida.
      Lembra de Vasco x Santos no Maracanã ? 2 x 0 prp Vasco ate os 42 do segundo tempo ?
      Fontana (um grande assassino de canelas) perguntou pro Negão, cadê o rei? Levou uma.bronca do Brito. Pelé marcou 2 vezes e empatou o jogo e deu a bola depois do seu sefundo gol pro Fontana e disse: prazer Pelé rdtst

Deixe sua opinião e colabore na discussão