Qual foi o melhor campeão: 2015 e 2017 do Corinthians ou 2016 e 2018 do Palmeiras?

Créditos da imagem: Montagem / No Ângulo

Comparação entre os quatro últimos campeões brasileiros

Os quatro últimos Campeonatos Brasileiros foram dominados pelos rivais Palmeiras (campeão em 2016 e 2018) e Corinthians (vencedor em 2015 e 2017). A pergunta, que naturalmente também deve fazer parte das conversas de bar das duas torcidas, é qual desses quatro times foi melhor.

Uma tabela estatística básica mostra os seguintes números:

Por esses números, o Corinthians-2015 seria o melhor dos quatro campeões. Só que campeonatos de futebol possuem uma “distorção” inerente: ganhar do líder e ganhar do lanterna valem os mesmos três pontos. Por isso, uma alternativa interessante seria dar a cada jogo um peso igual ao aproveitamento do adversário (ou seja, um jogo contra um adversário forte, que teve aproveitamento de 50%, teria peso 0,5, enquanto um jogo contra um lanterninha, com aproveitamento de 20%, teria peso 0,2). A classificação dos quatro campeões segundo esse “aproveitamento ponderado” seria:

Agora o Palmeiras-2018 passa a ser o melhor dos quatro campeões (ou seja, pode-se dizer que foi, dos quatro times, o que teve melhor desempenho contra adversários mais fortes).

Outra comparação em que muita gente deve pensar é com relação aos ataques e defesas:

Aqui também podemos usar o aproveitamento dos times para dar peso aos gols. Afinal, fazer gols num time forte é teoricamente mais difícil do que fazer gols num time fraco. Só que devemos ter cuidado com os gols sofridos: tomar gols de um time fraco é “pior” que tomar gols de um time forte e, portanto, os gols sofridos contra times mais fracos devem ser contabilizados com peso maior.

Nas tabelas abaixo, então, os gols marcados estão totalizados com pesos iguais ao aproveitamento do adversário (ou seja, um gol marcado contra um time de aproveitamento 40% tem peso 0,4), enquanto os gols sofridos estão contabilizados com pesos iguais a 1 menos o aproveitamento do oponente (ou seja, um gol sofrido contra esse mesmo time de aproveitamento 40% tem peso 1 – 0,4 = 0,6).

Juntando todos esses cálculos e tabelas, chegamos ao seguinte (e interessante) resultado:

Disso podemos tirar duas conclusões:

1 – Para ter um melhor aproveitamento “bruto”, marcar mais gols parece ser mais relevante; para ter um melhor aproveitamento “ponderado” (ou seja, com melhor desempenho contra os mais fortes do que contra os mais fracos), sofrer menos gols é que aparenta ser mais decisivo.

2 – Qual foi, afinal, o melhor dos campeões? Isso só saberemos se um dia inventarem uma máquina do tempo que permita colocar Corinthians-2015 e Palmeiras-2018 no mesmo campo, para jogarem um contra o outro.

Deixe sua opinião e colabore na discussão