Carta aberta a Prass: obrigado por tudo, monstro

Créditos da imagem: Cesar Greco / Palmeiras

Monstruoso Fernando Prass,

Eis aqui uma carta de agradecimento pelos sete anos em que vestiu e honrou o manto alviverde, tamanha honra que começou com um desafio igualmente gigante.

Você, Prass, veio para tirar o clube da lama, de um lugar em que, pela segunda vez, não deveria estar. Mesmo assim, veio para assumir uma responsabilidade que, pós-São Marcos, nenhum outro conseguiu com tanta maestria.

Com muita garra e técnica, você chegou, se apresentou, vestiu a camisa de um dos maiores ídolos do clube e, assim como o nosso santo, tornou-se ídolo defendendo a nossa meta.

Depois de tempos, Fernando, nós palmeirenses não tivemos mais medo em disputas de pênaltis, pois sabíamos de toda sua maestria em defendê-las por nós.

Aliás, foi exatamente nos pênaltis que fomos gratificados com aquele chutaço que nos garantiu a Copa do Brasil na final contra o Santos em 2015.

Que momento emocionante! A admiração por você só crescia.

Mal sabíamos que, logo no ano seguinte, comemoraríamos a consagração de seu excelente trabalho no clube com a sua convocação para a seleção olímpica, sensação que nós palmeirenses adoramos sentir em ver mais um goleiro palmeirense vestindo a Amarelinha.

No entanto, mal sabíamos também que você se contundiria e não jogaria as Olimpíadas, numa lesão que doeu também em nossos corações.

Adiante no tempo, mais uma situação emocionante para nós e, obviamente, para você. O abraço em Jaílson e a comemoração do título brasileiro de 2016, que, também com suas defesas, sua experiência, e sua liderança, ajudou a quebrar um tabu de 22 anos de espera. Uma eternidade para o time que tem mais.

Obrigado Fernando Prass.

Obrigado também por mais um título nacional em 2018, jogando menos jogos que os anos anteriores, mas igualmente importante, pois mesmo no banco, você nunca reclamou nem desistiu de trabalhar.

Sabemos que você merece demais um grande jogo festivo de despedida, com casa cheia! Talvez a diretoria nos agrade com esse presente.

Enfim, foram quatro conquistas em 274 jogos e um lugar garantido em nossos corações.

Novamente, muito obrigado por tudo!

Leia também:

– Entrevista: Após renovação, Fernando Prass declara que pretende encerrar a carreira no Palmeiras

Deixe sua opinião e colabore na discussão