No Galo, o ano acabou após o Carnaval

Créditos da imagem: Bruno Cantini/Atlético

Dizem que no Brasil o ano só inicia após o carnaval. No Atlético Mineiro, no entanto, foi o fim.

Depois de ser eliminado pelo Unión Santa Fé na Sul-americana, o Galo caiu ontem para o desconhecido Afogados da Ingazeira -“a Coruja do Sertão”, clube fundado em 2013 e estreante em competições nacionais- e deu adeus a qualquer chance de título importante nesta temporada.

Isso porque não precisa ser muito expert para saber que as chances do clube no Brasileirão são bem pequenas, haja vista a disparidade de time e elenco com os grandes favoritos Palmeiras e Flamengo.

Num ano em que o atleticano se viu sonhando com a presença do rival na Série B, o clube o presenteia com vexames que aumentam ainda mais a diferença histórica entre as equipes.

Nada pode explicar um clube da primeira divisão cair para um time desconhecido, mesmo que fora de casa e nos pênaltis. Com folha salarial de apenas R$ 100 mil, o Afogados fez o jogo da vida e venceu.

Vale lembrar que, na primeira fase, o Galo já havia empatado com o Campinense e seguido adiante graças ao regulamento que prevê vantagem do empate ao visitante.

Com isso, o estadual de Minas deve se tornar pura guerra, já que de fato é o que sobrou para o Galo, além de ser a única chance do Cruzeiro de ter o orgulho minimamente massageado.

Contratado no inicio do ano e demitido nesta madrugada, o venezuelano Dudamel ficou apenas dois meses em atividade no Brasil.

Ou melhor, ficou uma temporada inteira, afinal, é fevereiro e o ano já acabou pelos lados alvinegros de Belo Horizonte.

Deixe sua opinião e colabore na discussão