O English Team, a incrível façanha de ser caseira e o exemplo que jamais será seguido no Brasil

Créditos da imagem: Divulgação/ Site oficial da FIFA

A seleção da Inglaterra disputará a Copa do Mundo com uma característica rara no futebol atual: todos os seus 23 convocados atuam em casa, nas terras da Rainha.

Há tempos que o Campeonato Inglês deixou de ser aquele de bola aérea, com jogadores truncados, que conquistavam os pontos à base do bumba meu boi. Com a injeção de grana e o apoio massivo das arquibancadas e de grandes técnicos e jogadores, o futebol inglês passou a ser vistoso, competitivo e se tornou a liga mais rica e mais equilibrada do continente.

O resultado se reflete nesta Copa do Mundo. O país chega com uma boa seleção, com uma grande estrela – seu centroavante Harry Kane, artilheiro da Europa no último ano –e com jogadores que atuam apenas em seu próprio país.

Na Inglaterra, ao contrário do que acontece no Brasil, o futebol de clubes não é administrado pela mesma instituição que gere a seleção. Lá, o campeonato de clubes é coordenado pela Premier League, sem interferência da FA, a federação de futebol inglesa.

Os ganhos são visíveis. Ao contrário do Brasil, em que temos os clubes sucateados em razão de seleção, na Inglaterra todos andam juntos e separados. Cada um por si, mas de maneira mútua. Sem interferência, mas sempre em cooperação.

Hoje, os clubes considerados médios na Inglaterra já se faturam algo parecido a alguns grandes de outras ligas, como os da Itália, de Portugal e da França. Jogadores ingleses estão cada vez mais valiosos e valorizados por seus times locais.

Além disso, em censo realizado pelo portal UOL sobre todos os jogadores convocados para o Mundial da Rússia de 2018, os dados mostram que a Inglaterra se tornou o centro do futebol de hoje, já que mais de 17% de todos os convocados atuam no futebol inglês (170 de 573),

O resultado dos investimentos já é visto na Europa, pois enfim um clube inglês voltou a participar de uma final de Champions League. Além disso, a Inglaterra chega, depois de participações medianas em Copas do Mundo e de ficar fora da Euro 2008, como uma força competitiva, que a despeito da inexperiência da maioria dos jogadores – tem média de idade de apenas 25 anos – apresenta forma pronta de jogar.

Vale lembrar que o English Team foi adversário duro e não perdeu para o Brasil no final do ano passado mesmo sem seus principais jogadores. Nas Eliminatórias, classificaram-se sem derrotas.

Talvez não seja para já, mas é possível enxergar a seleção inglesa como grande seleção a ser batida no futuro. Os investimentos na base e na infraestrutura do futebol estão aumentando. As cotas de TV e os patrocínios estão cada vez maiores. Os holofotes do mundo estão virados em direção ao futebol inglês.

Um exemplo de gestão que jamais será seguido no Brasil, infelizmente. Aqui a CBF manda e desmanda, enquanto os clubes padecem e mendigam por prêmios um pouco maiores e por cotas de TV mais descentralizadas.

O 7 x 1 da Inglaterra pode não vir em campo, mas é questão de tempo para acontecer fora dele.

10 comentários em: “O English Team, a incrível façanha de ser caseira e o exemplo que jamais será seguido no Brasil

  1. Essa dupla do Tottenham, Dele Alli e Harry Kane, joga muito!!!!!!! A Inglaterra mista já conseguiu parar o Brasil, e tô apostando muito nela nesta Copa, podem me cobrar depois!!!!!!!!!!!!!!!

    1. Sim. E é uma grande seleção, campeã do mundo e tri campeã olímpica. Infelizmente está em um grande jejum, precisa voltar a ganhar título.

Deixe sua opinião e colabore na discussão