Bola cantada

Créditos da imagem: UOL Esporte

Segundo turno do São Paulo no Brasileirão deveria ter ligado o alerta no clube

Não se trata de oportunismo. É evidente que o problema do São Paulo é estrutural e vai do topo à base da pirâmide.

Mas falando do time em si, não era difícil detectar, desde o final do ano passado, que o Tricolor Paulista, outrora “Soberano”, sofreria em 2019 caso algumas situações –a meu ver, óbvias- não fossem modificadas.

As duas principais:

I) a manutenção dos “pesados” veteranos Jucilei, Nenê e Diego Souza no elenco;

II) a efetivação de um técnico sem rodagem. O que em situações normais já seria difícil, em um clube em ebulição como o São Paulo seria ainda mais improvável que desse certo (o corintiano Carille foi exceção à regra).

No duelo contra o Talleres, é triste constatar que a esperança do time comandado por Jardine passe apenas e tão somente pela tradição do clube, que há um bom tempo vem sendo achincalhada pelos seus dirigentes.

“Raí, pede pra sair!”? O que até outro dia parecia algo impensável, pode acontecer esta noite no Morumbi.

E segue o jogo.

3 comentários em: “Bola cantada

  1. Time lento, sem criatividade do meio de campo. Atacantes sem noção de colocação. Defesa que comete muitas faltas em locais perigosos. Muitos passes errados e nenhum preparo para jogadas ensaiadas. Tiros de cantos horriveis e sem treinamento. Time ruom com técnico amador.

Deixe sua opinião e colabore na discussão