Déjà-vu: Atlético Mineiro terá desafio ingrato e repetido pela frente

Créditos da imagem: Montagem / No Ângulo

O Atlético Mineiro está consolidado como favorito ao Brasileirão 2020. Com 100% de aproveitamento em casa e apenas quatro derrotas na competição, o clube lidera o campeonato e apresenta, neste momento, o futebol mais interessante de se ver jogar em terras tupiniquins.

No entanto, curioso é que o Galo terá uma missão coincidentemente ingrata pela terceira vez na década. Em todas as vezes em que o alvinegro de Minas Gerais chegou com potencial para conquistar o inédito bicampeonato nacional, havia um time superior que dominou a competição sem dar quaisquer chances para a equipe mineira.

Em 2012, com Ronaldinho Gaúcho e outros bons jogadores, a equipe que seria campeã da Libertadores no ano seguinte somou incríveis 72 pontos, mas ficou cinco pontos atrás de um Fluminense inspirado com Diego Cavalieri, Deco, Wellington Nem, Thiago Neves e a melhor fase do artilheiro Fred.

Três anos depois, outro bom time do Galo chegou a disputar o título e liderar por algumas rodadas, mas foi ultrapassado por aquele que seria, até o ano passado, o time de melhor campanha do Brasileirão de pontos corridos com 20 times. Com Ralf, Elias, Jadson e Renato Augusto, o Corinthians abriu 12 pontos de vantagem e conquistou um título vencendo, inclusive, o Galo em Minas com um sonoro e inesquecível 3 a 0.

Agora a missão é igualmente pesada. Embora tenha novamente um ótimo time e um grande treinador, vencer o Flamengo, atual campeão nacional, da Libertadores e vice Mundial, é certamente um trabalho que exigirá muito empenho e permitirá poucos deslizes. Atualmente empatados em pontos, o Atlético tem um jogo a menos, e ainda há o confronto direto na abertura do returno, que pode fazer toda diferença em fevereiro do ano que vem, quando o campeonato se encerrará.

Como vantagem, pesa o fato de que o Galo pode se dedicar integralmente ao Brasileirão, já que foi eliminado da Copa do Brasil e da Sul-Americana, enquanto o Flamengo ainda atacará em três frentes, vivo como está em todas as competições da temporada.

Será que o desfecho desta vez será feliz para os atleticanos, que já vivem um ano único em sua história com a liderança da divisão de elite e o rival brigando para não cair para a série C? Jorge Sampaoli certamente sabe como vencer o Flamengo e não quer ser vice novamente, como foi com o Santos no ano passado. Resta aguardar o final desse Déjà-vu.

Deixe sua opinião e colabore na discussão